quinta-feira, 11 de julho de 2013

Coisa diferente

"Existem aqueles dias quando você sente uma coisa diferente dentro de si, um sentimento estranho. É meio que uma mistura de carência com angústia, e totalmente desagradável. Sentindo como se estivesse sendo corroído por dentro ou como se estivesse desmoronando. Você precisa de alguém, mas não sabe exatamente quem. Só consegue imaginar.
A saudade é um sentimento que nem deveria existir. Sentir saudade é ter uma ausência ao seu lado. É ter dias mais longos, ter mais tempo para sua família e conversar sobre assuntos que nem te interessam. É ir a um lugar e não lembrar porque foi lá. A saudade é a inconfortável e eterna expectativa de um reencontro que talvez nunca aconteça.
Às vezes, a saudade fica tão grande que ela não é mais o sentimento. A pessoa é saudade. A pessoa vive saudade, vive pra encontrar o olhar daquela pessoa em cada esquina. Vive tanto isso que pode confundir cabelos e perfumes. Sorri mesmo tendo o coração apertado. E quando você finalmente encontra quem tanto queria, vem aquela tal sensação libertadora junto com uma voz na sua cabeça que diz "ufa, acabou!".
Saudade é não saber. Não saber o que fazer com os dias que ficaram mais compridos; não saber como encontrar o que fazer para ocupar a mente; não saber como parar de pensar em alguém quando toca uma música; não saber como ignorar a dor do silêncio no quarto à noite.
Mesmo a saudade sendo feita para doer, às vezes, percebemos que ela é o meio mais eficaz de enxergar o quanto amamos alguém. Não que a saudade só venha depois do amor. É que antes não havia espaço pra ela. Essa tal saudade. Ainda não mata, mas incomoda. Saudade é isso que você, provavelmente, está sentindo agora que acabou de ler."



Exatamente como eu me sinto.
Texto de @UmVirgem

Nenhum comentário: